sábado, 26 de dezembro de 2015

Saudações Papais e Janais









video

quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

Bloqueio do Whatsapp? Desbloqueie....

Entenda o problema:

O bloqueio do Whatsapp se deu hoje as 0h00 (ou 24h00) por meio de uma decisão da 1ª Vara Criminal de São Bernardo do Campo, mantendo-se o autor em sigílo.

Justiça manda bloquear Whatsapp por 48 horas

Como é de praxe, em frauda de nenê, não se sabe o que vai sair!

Crimes "graves" acontecem todos os dias através de telefones. Porque não bloquear os telefones também? E se houver crime no metrô, vamos bloquear o Metrô?

Me desculpem se há problemas nas técnicas de investigação ou no rito do próprio judiciário, mas, para tentar resolver um problemas (que nem é possível, pois não existem tais registros), criou-se 100 milhões de outros!!

Parabéns tupiniquins....

Mas, vamos ao que interessa:

Para liberar o whatsapp em seu celular, baixem o (por exemplo) Betternet no Google Play (mas funciona com qualquer VPN), instalem e rodem. Depois é só executar o Whatsapp normalmente!

Para acessar o Whatsapp Web, baixem o Private Tunnel (Também pode funcionar com qualquer VPN). Fechem todos os navegadores e executem a instalação. Confirme em seu email, execute o software e escolha um servidor fora do Brasil. Depois de logado é só abrir o navegador, acessar whatsapp web e utilizar normalmente. Veja a imagem abaixo com minha conversa com a minha prima e o horário, depois o print screen da página do Whatsapp Web.






Bom, estamos conectados desde às 0h30 desta madrugada do mesmo jeito!



quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

O Estado Islâmico (aqueles radicais) é somente um estado de "coisas". Temos outras "coisas" pervertendo o estado de nossas crianças e nem damos conta destas "coisas"!

"...muitos docentes podem de fato crer que contribuem para a formação ética de seus alunos ao lhes ensinar orações ou ao difundir preceitos de sua fé religiosa. Ao assim fazer, contudo, violam um princípio ético-político fundamental da escola pública moderna: o da laicidade. Princípio este que não faz da escola uma instituição antirreligiosa. Apenas procura garantir que a escolha de uma religião - ou de nenhuma - seja uma decisão privada e autônoma; e como tal respeitada por uma instituição pública..."

Professores não deveriam manisfestar suas crenças, escolhas de agremiações esportivas, tendências partidárias, conceitos políticos, preferências sexuais e outras práticas que são próprias e particulares de cada um, para seus alunos, sejam eles de qualquer nível (idade), principalmente os mais novos, que estão em fase de formação e estruturação de seus valores psíquicos, morais e éticos, bem como, de outros valores agregados!

Qualquer manifestação educacional, cultural, festiva ou reivindicatória que não atente para esses preceitos é indução, manipulação e incitação!

Nosso estado é laico, nossas escolas também deveriam ser!

A Frase:
"CADA UM FAZ A SUA PRÓPRIA OPÇÃO E VOCÊ NÃO TEM O DIREITO DE OPRIMÍ-LA!"
Possui dois gumes!

Tanto para o lado de lá, como para o lado de cá. Tando para a esquerda, como para a direita. Tanto para cima, como para baixo!

 Nunca, mas NUNCA, se esqueça disso!

Laicidade


Educadores e responsabilidade política

(José Sérgio Fonseca de Carvalho Doutor em Filosofia da Educação pela FEUSP - jsfc@editorasegmento.com.br )

Numa escola de educação infantil, uma criança de 5 anos foge ao ouvir o som do berimbau numa roda de capoeira; ela explica ao professor que aquilo "era coisa do demônio". A diretora da escola coloca um crucifixo e a Bíblia ao lado do livro de ponto e só os retira quando uma professora ameaça trazer seus guias e orixás (com ironia, argumenta: "se não é laica, que seja ecumênica!"). Numa escola de ensino médio um pastor alerta o professor de português que seus alunos não deveriam ler O cortiço , por ser uma obra "imoral". Essas histórias, todas relatadas por professores comprometidos com os ideais republicanos de uma escola laica, são versões contemporâneas do persistente conflito entre as esferas religiosa e secular na luta pelo estabelecimento do campo de legitimidade das práticas e dos princípios de ação educativa.

Em sua imagem clássica esse conflito tomava a forma de um duelo entre forças de inspiração iluminista e o clero conservador, como na cena do filme A língua das mariposas em que o pároco discute com o mestre-escola acerca das transformações que a experiência escolar produzira no garoto Moncho. Mas nas escolas brasileiras de hoje o conflito tem apresentado uma peculiaridade: não é um embate entre instituições sociais em antagonismo, mas uma cisão profunda dentro da própria escola. Embora o discurso legal afirme o caráter laico da escola pública, seu cotidiano está impregnado de religiosidade. Preces diárias, hinos eclesiásticos em cerimônias de formatura e uma pregação moral de natureza religiosa parecem ser tão recorrentes no cotidiano escolar quanto os ditados, mapas, filas, cadernos e diários de classe. Como compreender essa indistinção entre os domínios da religião - modernamente concebida como uma decisão do âmbito privado - e o da formação escolar numa instituição pública?  

O crescimento da presença social e política das diversas religiões pentecostais não pode ser ignorado, mas não é por si só capaz de explicar a peculiaridade do fenômeno. Há o fato inegável de que tanto o Estado quanto setores significativos da sociedade esperam que, para além de informar e capacitar crianças e jovens, as escolas venham a conformá-los moralmente; que logrem levá-los a agir em conformidade com certos modelos morais ideais. Essa esperada conformação moral pode encontrar fundamento em doutrinas religiosas ou formas de vida política, em juízos estéticos ou numa tradição cultural. Pode recorrer a vários desses elementos, amalgamando-os num discurso escolar que se crê capaz de fundir a todos e harmonizá-los, como se convergissem necessariamente para o mesmo ideal. Ocorre, no entanto, que a formação de um bom cristão não coincide com a de um cidadão ativo; e não é certo que este resultará num patriota... Por vezes, o Deus de um pode ser o demônio do outro!

Não obstante, muitos docentes podem de fato crer que contribuem para a formação ética de seus alunos ao lhes ensinar orações ou ao difundir preceitos de sua fé religiosa. Ao assim fazer, contudo, violam um princípio ético-político fundamental da escola pública moderna: o da laicidade. Princípio este que não faz da escola uma instituição antirreligiosa. Apenas procura garantir que a escolha de uma religião - ou de nenhuma - seja uma decisão privada e autônoma; e como tal respeitada por uma instituição pública. Mas os professores, além de profissionais da educação, são homens ou mulheres, torcem para um time, votam em um partido, são fiéis de uma igreja. Deles não se deve esperar que escondam sua marca singular e pessoal; mas tampouco que venham a faltar para com a responsabilidade política decorrente de seu pertencimento a uma instituição pública.



sábado, 21 de novembro de 2015

Só o futuro dirá...

Conversando (via Whatsapp é claro) com um amigo que estava com dúvidas em como abordar um certo assunto em seu trabalho, lembrei-me de um texto que havia escrito  e que bem poderia auxiliá-lo nisso.

Procurei no meu "bloq" e nada... Nos meus textos e,  nada também... Lembrava do texto, mas teria que reescrevê-lo para que esse tivesse sentido! As vezes o Whatsapp não tem sentido!!

Passaram-se muitos dias, semanas, meses, anos e décadas... E, hoje,  somente hoje eu me lembrei do assunto. E lembrei também que havia escrito textos para um livro, há uns 15 anos, mas não olhava esses texto há, pelo menos, uns 13 anos. Talvez o texto que eu procurava, poderia estar lá.

É, escrevi um texto-livro que algumas pessoas leram, opinaram, e até me incentivaram a publicá-lo, Mas como aqueles que leram eram meus amigo (ou não), resolvi não publicar!

Engavetei tão bem "engavetado", no meu computador (ou computadores, pois ele passa de geração em geração de computadores),  que nem eu conseguia mais encontrar.

 Achei hoje, na verdade, agora mesmo!

Até me deu vontade de revisá-lo para publicá-lo, mas....

Um dia eu publico, porém,  esse dia ainda não chegou. Bom, assuntos extras a parte, vamos ao texto:


SÓ O FUTURO DIRÁ

Era uma vez um grande senhor de terras que havia morrido recentemente. Os amigos do mais moço, vieram trazer suas condolência e ampará-lo naquela hora de tristeza. E diziam: “Que coisa ruim aconteceu com você!” Ele simplesmente respondeu: “Se isso é bom ou ruim, só o futuro dirá!” Os amigos estranharam a resposta, mas devido a situação do momento, não tocaram mais no assunto. Depois de passar a época de luto, descobriram que o pai tinha deixado para cada um dos filhos um pedaço de terra. Vieram novamente os amigos do caçula e disseram: “Você vai herdar uma parte das terras de seu pai. Isso é muito bom”. E o rapaz novamente respondeu: “Se isso é bom ou ruim, só o futuro dirá!” Os amigos já começavam a se acostumar com aquele jeito esquisito do rapaz. Deram de ombro e foram embora. Ao descobrirem que o amigo tinha recebido como herança uma terra pantanosa, um verdadeiro charco, apareceram novamente e disseram: “Que pena, receber um charco como herança é, realmente, é muito ruim”. Ao que receberam a mesma resposta de sempre: “Se é bom ou ruim, só o futuro dirá!” Ninguém ligava mais para esse tipo de resposta, achavam que o amigo tinha ficado louco, mas como eram amigos, deixavam-no viver conforme seus padrões.

Uma grande seca atingiu toda a região e todas as propriedades foram devastadas. Todas as plantações morreram, mas como as terras do amigo ficavam em um charco, esse prosperou e ganhou muito dinheiro com suas colheitas. Vieram os amigos regozijar-se com ele, dizendo: “Ainda bem que você ganhou como herança um charco. Como único fornecedor de alimento da região, ganhará muito dinheiro e isso é muito bom.” O amigo respondeu, como de costume: “Se é bom ou ruim, só o futuro dirá”.

Com o dinheiro das colheitas o amigo comprou um grande garanhão e com isso começou uma criação de cavalos de ótima estirpe. Seu único filho era quem cuidava dos cavalos mas, um determinado dia, quando adestrava o garanhão, este se assustou, derrubando o filho do amigo, que fraturou o ombro com a queda. Os amigos vieram e, compadecidos e disseram: “Esse cavalo é muito bonito, mas muito bravo também, pena seu filho ter se acidentado. Isso foi muito ruim”. E como sempre, o amigo respondeu: “Se é bom ou ruim, só o futuro dirá!”

Um belo dia, o reino vizinho declarou guerra e todos os rapazes da região foram recrutados, menos o garoto que tinha fraturado o ombro. Os amigos vieram e disseram: “Ainda bem que seu filho se acidentou, muito de nossos garotos vão morrer nessa batalha. Esse acidente foi muito bom pra você e, principalmente, para o seu filho”. E o amigo, somente respondeu: “Se isso é bom ou ruim, só o futuro dirá...”

... na balada!



Um casal na "balada". Ele tentando daqui, tentando dali e nada de a garota abaixar a guarda. Quando estava quase desistindo, a garota, depois de tanta insistência, bufa, se vira e pergunta à ele, com "ar de superioridade":

- O que você faz da vida?

O fulano,  já meio irritado pela demora na resolução do ataque, diz:

- Sou traficante de órgãos!!

Ela com cara de enojada exclama:

- Nossa! Você não tem coração?

E ele, calmamente responde:

- Depende! Isso é uma crítica ou uma encomenda?



quarta-feira, 18 de novembro de 2015

Treinamento contra incêndio...


-Mãe, posso "coloca" seu sapato?
- Pode!
- Mãe, "vamo toca"?
- Trocar o que?
- "Vamo troca" de mãe.
- ???
- Eu sou a mãe e você é a filha...
- Tá!
- Filha! Hoje você vai "tê" que "i" na "cola"...
- Que legal, eu gosto da escola!
- "Mais" vai "tê balulo"!
- Que barulho?
- De "sireme"
- O que?
- Vai "tê  S-I-R-E-M-E"!
- Que sirene é essa?
- "Sireme pá gente corrê se pegá fogo lá"...


Esse é o X da questão!


domingo, 15 de novembro de 2015

Umidade avançada... - Humidity Advanced (In portuguese, pun: An Age Advanced)

Minha prima me enviou uma mensagem e fui obrigado a parar e pensar...
Não sei se já aconteceu ou acontece com você. Acho que acontece com todo mundo! 
É óbvio que todo mundo já se comparou com outras pessoas da mesma idade ou de idades próximas. 
Eu não vou me furtar disso! 
Faço isso toda hora e, as vezes, não é só para me sentir melhor, mas, muitas vezes, para tentar achar uma forma de melhorar meu "deplorável" estado atual!
... mas, melhor que o texto fale por si só!
IDADE
Uma amiga me contava que estava ela sentada na sala de espera para um consulta com um novo dentista indicado por outra amiga, quando observou o seu diploma na parede.
:- Li o seu nome e recordei de um rapaz alto, bonito e que havia estudado comigo na mesma classe do colégio e  que, por sinal,  tinha esse mesmo nome. Isso já fazia uns 30 anos, mas mesmo assim, sentia saudades daquela época. Lembrei-me então,  que era "apaixonadérrima" pelo garoto, mas por vergonha, eu nunca havia me declarado. Quando acabamos o curso, cada um seguiu o seu caminho e nunca mais nos vimos.
:- "Seria o mesmo rapaz por quem eu tinha me apaixonado à época?" Pensou ela.
Entrei no consultório e imediatamente, afastei esse pensamento. 
O homem que me atendeu era um sujeito grisalho, quase calvo, gordo, enrugado e demasiadamente velho para ter sido aquele meu amor secreto.
Depois que ele examinou meus dentes e preparou o orçamento,  olhei bem no fundo dos olhos dele e perguntei se ele tinha estudado no Colégio Santa Cecília. Mesmo já sabendo qual seria a resposta,  não controlei minha curiosidade. 
Minha surpresa foi que ele respondeu que "sim". Me espantei e continuei:
- Quando você se formou? 
- Em 1965! Mas por que esta pergunta?
- É que...Bem... Você era da minha classe, exclamei!

E então aquele velho horrível, desgastado, cretino, careca, barrigudo, flácido, lazarento, esclerosado, filho da puta me perguntou:
- Ah é! E a senhora era professora de quê?

(Cri..cri.. cri..)

sábado, 7 de novembro de 2015

Mais uma antiga! Vaidade...

Seção nostalgia!

Tenho eu culpa eu que pessoas novas "curtam" minha postagens velhas...

Eu vou relê-las e acho interessante!! Guardo aqui, porque no Facebook eu não encontro isso nunca!



sexta-feira, 6 de novembro de 2015

Deficiente Digital

Esta semana mesmo, publiquei algo que, me lembro bem, tinha Millôr Fernandes no meio. Lembrei disso, porém, ainda não me lembro do que se tratava e vou ter que procurar op que escrevi! O problema é que, sempre que procuro algo, acho outra coisa e isso me faz com que eu me remeta à outra coisa e mais outra, que no final, nem me lembro mais o que eu iria fazer.

Minha vida é uma "vibe" tão grande, que as vezes nem me lembro do que fiz ontem, ou, dependendo da frequência (no sentido de vibração e não de repetição) , nem do que fiz na última hora!

São tantas indas e vindas, dizeres e orações, gritos e palavrões. Coisas lindas e coisas não tão belas. Porém, esse é o mundo que eu vivo. Isso é o que eu sou e isso é o que eu tenho. Sendo assim, melhor ter boas lembranças do que pensar em um futuro que ainda não chegou e talvez nunca chegue( mesmo que esse futuro seja amanhã, até amanhã) Melhor até lembrar de  lembranças não muito boas do que não ter lembranças nenhuma para lembrar.

São as lembranças que moldam o meu presente e o meu presente é que define o meu futuro!

Com estou, digamos,  em um momento de "remember"! Lá vai outra "curtida" em texto antigo que resolvi, também guardar! Não acertei os erros ortográficos, porque isso também faz parte da história, ou seja, baseado nisso, podemos até inferir que a história é feita de erros e acertos.... (Hoje a filosofia está me consumindo)!

Vamos lá! Essa é mais novinha, de janeiro de 2013. Há quase 3 anos...



Como é pequenininho e também tem a ver com o que escrevi acima. Vou "colar" mais essa abaixo:


Fim do Mundo - Eu nem me lembrava disso (Mayan prophecies)

E eu, que nem me lembrava mais que o mundo tinha acabado.

Hoje, alguém, curtiu essa "velha" postagem de dezembro de 2012 e, resolvi salvá-la aqui, para lembrar que o mundo já acabou diversas vezes, porém, a primeira que eu estava presente foi essa de 2012 (Bom, que eu me lembre).

.... e lá se vão 3 anos sem mundo nenhum!!






terça-feira, 3 de novembro de 2015

Um experimento Socialista: Socialismo X Capitalismo (A socialist experience)

Um texto apócrifo de “internet”, conta-nos a história de um professor de economia na Universidade Texas Tech que nunca havia reprovado um só aluno em toda a sua vida, porém, após um experimento realizado em uma classe com tendências socialista, foi obrigado a reprovar a classe toda.

Esta classe, em particular, tinha insistido que o socialismo realmente funcionava e que, seguindo a ideologia socialista, ninguém seria pobre e ninguém seria rico em uma sociedade igualitária como a socialista e, tudo seria “justo”.

O professor então, propôs realizar um pequeno teste: - Vamos realizar um experimento socialista, mas ao invés de dinheiro, usaremos suas notas nas provas, disse ele.

Ou seja, a regra proposta determinava que todas as notas seriam concedidas com base na "média das notas da classe” e, portanto, seriam "justas".  Na verdade, a proposta indicava “subliminarmente” que ninguém receberia a nota 10 (dez) mas, em contrapartida, ninguém seria reprovado!

Após a primeira prova, ele recolheu todas as notas, tirou a média, e aplicou um 8,0 (oito) para toda a classe. Quem estudou com dedicação ficou indignado, mas não muito, já que 8,0 (oito) também é uma boa nota, porém, aqueles alunos que não se esforçaram gritaram de alegria com o resultado obtido.

Quando se aplicou a segunda prova, aqueles que não tinham estudado para a primeira, continuaram "não" estudando para a segunda. Os que estudaram um pouco, estudaram desta vez, menos do que para a prova anterior (todos esperavam tirar boas notas de qualquer forma mesmo).  Aqueles que tinham estudado bastante no início, resolveram que também se aproveitariam deste "método das médias" e, agindo contra suas tendências, não se esforçaram tanto. Como resultado disso, a "média" após a apuração das notas da classe ficou em 4,0 (quatro), o que ninguém gostou e as reclamações se iniciaram.

Depois da terceira prova, a média geral ficou sempre abaixo de 3,0 (três) e nunca mais voltaria aos patamares anteriores. As desavenças entre os alunos começaram a se intensificar, todols queriam descobrir os culpados pelo prejuízo. Brigas, discussões, ofensas, fizeram parte da atmosfera daquela classe. A busca por "justiça" era a principal causa das reclamações, mas, no final das contas, ninguém mais queria estudar para beneficiar o restante da sala e aumentar a média de notas da classe. Em consequência disso, todos os alunos repetiram o ano...

O professor, no último dia, ao entregar a "média" aos alunos, explicou que o experimento socialista tinha falhado. Não porque a "média" de notas de um grupo era repartida pelo próprio grupo, mas porque, a metodologia do grupo se baseou na filosofia do “menor esforço”. Se todos tivessem se empenhado e realizado a sua parte na proposta e estudar, mediante suas habilidades e esforços, é muito provável que a média se mantivesse em níveis elevados, porém, não foi isso que aconteceu.

Dificilmente um grupo heterogêneo, conseguiria manter-se em médias elevadas. Sempre haveria fracasso neste tipo de situação e, justamente, a partir da idéia na qual o experimento tinha  se baseado pois, quando a recompensa é grande, o esforço pelo sucesso também é, mas quando a recompensa é "média" ou "nenhuma", o esforço tende a ser, também,  "médio" ou “nenhum".

Quando se retira algo de parte de um grupo para redistribuir à a outra parte menos favorecida, devemos ter idéia de que “todos” devem contribuir para o bem comum do grupo. Mas é quase impossível se obter um grupo homogêneo nos níveis de esforços e pensamentos. Sempre haverá os “aproveitadores”. Maiores ou menores, mas eles sempre estarão lá e, são esses que impedem a consecução dos objetivos socialistas, pois, ao se perceber que parte deste grupo (os dos aproveitadores), possuem os mesmos benefícios que a parte esforçada, esta parte esforçada, consciente ou inconscientemente, se vê tolhida no resultado de seus esforços. Sendo assim, o interesse pelo "esforço" começa a declinar. É óbvio para qualquer um que, se com esforço ou sem esforço seus ganhos são os mesmos, para que se esforçar?

Transferindo essa metodologia exemplificada para uma metodologia de atuação governamental, podemos prever que, ao se retirar as recompensas dos mais esforçados, sem o seu consentimento, para dar à outros, não muito esforçados. Mesmo que seja um problema conjuntural de oportunidades, o fracasso será inevitável.

Se ao invés disso, os governos fornecessem aos menos favorecidos, oportunidades de crescimento e aos aproveitadores do sistema, punições exemplares, é provável que esse sistema venha a ter um “certo” equilíbrio, porém, esses "tipos" de governos sempre punem a parte da sociedade que gera e desenvolve a renda, punem a parte da sociedade que paga seus impostos que no caso, são mal gastos e servem para manter uma “casta” de aproveitadores no poder, punem a parte da sociedade que sustenta suas próprias mordomias e faz com que seus governantes corruptos sejam cada vez mais corruptos.

"É impossível levar o pobre à prosperidade através de decretos ou leis".

Não adianta punir os ricos pela sua prosperidade, pois ninguém ficará próspero desta forma.

Pode-se até diminuir o “gap” entre os mais afortunados e os menos afortunados, porém, utilizando-se desta metodologia, a única coisa que se conseguirá é empobrecer os mais ricos diminuindo o "abismo", mas isso não enriquecerá os mais pobres.

Para cada pessoa que recebe sem trabalhar, existe uma outra pessoa que trabalha sem receber o que lhe é devido (ou, até recebe, mas esse tipo de governo atua em se apoderar desses valores desiguais, esfaqueando-a e alijando-a desse "grande mal").

“Nenhum governo tem direito a dar à alguém aquilo que não é seu”.

Governo nenhum gera riquezas. Governo nenhum pode "dar" dinheiro a quem quer que seja, pois, Governos não possuem dinheiro.

O dinheiro não é do governo. O dinheiro público é dinheiro do povo que contribuiu para isso. Governo, no caso, é uma instituição pobre que vive "muito bem” as custas do trabalho e dinheiro dos outros.

Quando metade da população entender a idéia de que não precisa mais trabalhar, pois a outra metade da população irá sustentá-la, é provável que essa outra metade, também entenda que não vale mais a pena trabalhar para sustentar a primeira metade.

Assim, chegaremos ao início do fim de uma nação!


"É impossível multiplicar riquezas, dividindo-as."

O Sistema Tributário explicado com Cervejas (Revisado)


Suponha que, todo dia, dez homens saíam para tomar cerveja e que a conta para os dez ficava em $100. Se eles pagassem sua conta da forma como nós pagamos nossos impostos, ficaria mais ou menos assim:

Os primeiros quatro homens (os mais pobres) não pagariam nada.

O quinto pagaria $1.
O sexto pagaria $3.
O sétimo pagaria $7.
O oitavo pagaria $12.
O nono pagaria $18.
O décimo (o mais rico) pagaria R$ 59.

Assim, foi o que eles decidiram fazer.

Os dez homens bebiam no bar todos os dias e pareciam muito felizes com o arranjo, até que um dia, o proprietário lhes fez uma oferta:

“Uma vez que vocês todos são tão bons clientes, eu vou reduzir o custo da cerveja diária de vocês em $20".

Assim, em vez de gastarem $100 por dia,as bebidas para os dez, agora custariam $80.

O grupo ainda queria manter a mesma estrutura de pagamento. os quatro primeiros homens não seriam afetados e continuariam a beber de graça mas, e os outros seis homens – os clientes que eram pagantes?

Eles então decidiram dividir os $20 de desconto, de modo que todos eles obtivessem sua “quota justa”. Calcularam que $20 divididos por seis(que eram os indivíduos pagantes) dariam $3,33 para cada um, mas se eles fossem subtrair esse valor da quota de cada um, o quinto e o sexto homens receberiam dinheiro para beber cerveja ao invés de pagar.

O proprietário vendo a confusão que causou, sugeriu que seria justo reduzir a conta de cada homem, proporcionalmente ao valor pago por cada um, e calculou as quantias que cada um deveria pagar.

E assim:
O quinto homem, agora, também não pagaria nada (100% de economia).
O sexto  pagaria $2 em vez de $3  (33% de economia).
O sétimo pagaria $5 em vez de $7  (28% de economia).
O oitavo pagaria $9 em vez de $12  (25% de economia).
O nono pagaria $14 em vez de $18  (22% de economia).
O décimo pagaria $49 em vez de $59 (16% de economia).

Verificando a quantia que, agora, iriam pagar, todos os seis pagantes saíram ganhando e a situação melhorou em visto do que pagavam antes.

Os quatro primeiros continuaram a beber de graça e, agora, tinha mais um, o quinto, que também beberia de graça. O negócio era bom para todos, porém,  quando saíram do restaurante, os homens começaram a comparar as suas economias.

Os quatro que bebiam de graça reclamaram que não receberiam nem um centavo dos $20 dados pelo do no do Bar.

- Mas vocês nunca pagaram nada e ainda vão continuar sem pagar, falou um deles.

- Não interessa! Nós só conseguimos esses desconto do dono do Bar porque consumimos essa quantidade todos os dias e, só consumimos essa quantidade todos os dias porque ajudamos no consumo, sendo assim, temos direito a uma parte do "bolo", disse, bravo, um dos não pagantes.

Neste instante, a conversa esquentou:

- Vocês nunca pagaram nada e agora querem receber para tomar cerveja? E eu, que sempre paguei, só ganhei $1 dos $20, declarou o sexto homem. Apontou para o décimo homem e emendou: - Ele está ganhando $10 neste acordo.

- Bom, se vamos pensar assim, eu também só ganhei $1, disse o quinto homem. É injusto ele ganhar dez vezes mais do que eu!

- É verdade! Gritou o sétimo homem. Porque ele deve receber de volta $10 e eu só recebo $2? Ele esta recebendo cinco vez a mais do que eu. Os ricos sempre levam todas as vantagens!

- Espere aí. vocês todos! Gritaram juntos os quatro primeiros homens :- Nós não estamos ganhamos nada. O sistema sempre explora os pobres!

Bom, nesse caus, quando o décimo homem foi fazer a sua colocação, os nove começaram a ofendê-lo. Chamaram-no de ladrão, aproveitador, usurpador, etc. Nesta hora, a amizade de tanto anos acabou. Rodearam o décimo e lhe deram
uma surra para que ele aprendesse a não fazer mais aquilo!

Na noite seguinte, o décimo homem não apareceu para beber! os outros nove deram de ombro e tomaram suas cervejas como de costume. Mas quando chegou a hora de pagar a conta, eles perceberam que não tinham nem a metade do dinheiro para pagar a conta.

Bom, é desse jeito que funciona nosso sistema tributário!

As pessoas que pagam os maiores impostos são as mais beneficiadas pelas reduções de taxas (quando há essas reduções de taxas), porém, também são as mais prejudicadas quando há um aumento destas taxas.

Agora, se "sobretaxarem" os que possuem mais dinheiro, simplesmente porque alguém ou um grupo os considera ricos, se atacarem esses, porque acham que recebem mais vantagens do "sistema", é provável que, uma hora ou outra, eles deixem de comparecer. Podem ir beber cervejas em outros bares com outras pessoas e, se for o caso, for o caso, podem ir beber cerveja no exterior, onde a atmosfera é sempre mais amigável.

Quando um grupo resolve que é necessário tirar "coisas" dos mais "abastados" para dar aos mais "carentes", sem é muito provável que esses mais "abastados", sentindo-se injustiçados, simplesmente parem de contribuir com o que já contribuem.

Para aqueles que entenderam, não é necessária nenhuma explicação! Porém, para aqueles que não entendem, nenhuma explicação é suficiente!...

sexta-feira, 30 de outubro de 2015

Humilhação! Sempre uma má digestão... (Mortification and indigestion)



Custei a digerir o comentário, porém, em minha prosopopeia interna, que me informa, minuto a minuto, utilizando-se de seu rufar de sons grotescos, que algo já se encontra em processamento e cujo término não tarda, aguardo os resquícios do material não absorvido pelo tubo digestivo e,  envoltos na flatulência produzida pelos indóis, escatóis e tióis, juntamente com os sulfetos de hidrogênio, para devolvê-los, à natureza que alimentou esta minha indigestão "priméra"!




quinta-feira, 29 de outubro de 2015

Conselhos de Polônio ( Polônio's Recommendation)

Em Hamlet, cena três do primeiro ato, cujo subtítulo conhecido é "Polônio aconselha seu filho Laertes".  Só a genialidade de Shakespeare seria capaz de eternizar um pequeno texto que estaria perdido no meio de sua obra, se fosse ele um autor comum, porém, como não o foi, segue abaixo a eternização. 

Tomando a tradução de Millôr Fernandes de Hamlet como base, temos o seguinte texto sintetizado e adaptado:

// 
Quando Laertes vai estudar em Paris,  Polônio, seu pai, apressa o filho e enquanto o acompanha rumo ao porto, passa a ele os conselhos de um pai amoroso para um filho querido:

- Não fale tudo o que pensas, nem ajas baseado em uma idéia idiota;
- Ouça a todos, mas fale pouco;
- Seja amistoso, mas nunca vulgar;
- Valorize os amigos que já tenhas colocado à prova e prenda-os a tua alma com grampos de aço;
- Não aplauda e nem festeje os jovens despreparados;
- Não entres em qualquer briga, mas entrando, faça com que seus inimigos o temam;
-  Escute todos, mas fale com poucos;
- Acolha a opinião de todos, mas decidas sozinho;
- Use roupas conforme a sua renda permita, mas não sejas extravagante. Podem ser ricas, mas não pomposas;
- O hábito releva o homem;
- Na França, pessoas de poder ou posição elevada se mostram distintas e generosas, somente pelas roupas que vestem;
- Não empreste e nem peça emprestado; quem empresta, perde o amigo e o dinheiro;
- Quem pede emprestado já perdeu o controle de sua economia;
- E, acima de tudo, seja fiel a ti mesmo e jamais serás falso com ninguém;

Adeus. Que minha bênção faça estes conselhos frutificarem em ti 
//

terça-feira, 27 de outubro de 2015

A Igreja do Diabo (Devil's Church)


No começo do Século XX, pensando sobre a moral da sociedade Machado de Assis escreveu um dos mais curiosos contos intitulado: A Igreja Do Diabo.

Nesse conto, o Diabo funda uma igreja e consegue obter vários adeptos. Sua igreja lotava todos os dias. Então, segundo as leis do Diabo, o mais importante na vida é promover prazeres de todos os tipos.

Não era preciso ter ética. Nem nos negócios, nem pessoais e tão pouco na política. Se houvesse condições para ganhar, mesmo que fosse de forma desonesta, a igreja além de incentivar, dava sua benção à isso.

Ajudar aos outros, também era pratica não aconselhável. O fiel não podia se preocupar com os amigos e nem com os familiares. Que cada um cuide de si, diziam os padres da Igreja do Diabo.

Com o passar do tempo, por mais apegados que os crentes estivessem neste novo credo, as pessoas começaram a burlar tais leis. As escondidas eles, passaram ajudar aos mais pobres, escutavam com certa atenção e davam cuidados aos lamentos dos conhecidos, oferecendo seus préstimos e amizade.

Os casado, começavam a não mais traírem seus parceiros. Comerciantes e políticos honravam seus compromissos, mesmo declarando seguir à risca a hedonista lei do Diabo.

Mas o pior de tudo, é que a prática da não observância as leis da Igreja do Diabo iam aumentando e cada vez tinham mais adeptos. O Diabo então, se sentindo traído, não aguentou mais e resolveu fechar a igreja. Foi reclamar com Deus desses insultos. Mas Deus, calmamente disse a ele

 :- Não se aborreça meu velho. Isso faz parte da natureza humana...

quarta-feira, 14 de outubro de 2015

Você tem "dor" no coração? (Disgusting food)



Assista a esse filme! É nojento...

... o que fazemos com nossos filhos!




Arrumem mais desculpas! Estas, somente, não bastam!


segunda-feira, 12 de outubro de 2015

Experiência de Criança (Child Experience)

Certa vez, fui mostrar uma experiência para minha filha, quando ela tinha 2,5 anos. Peguei uma batata, fiz um tripé com palitos de dente, coloquei em um pote de vidro, com algodão no fundo e água até metade. Esperei... Esperei... Acho que esperei uns dois meses. O algodão ficou podre e a batata preta na parte em que estava na água.

Não deu certo!

Mas, pelo que eu me lembrava, era assim mesmo...

Tentei mais uma vez, porém, desta vez, para não decepcioná-la, escondido!! Mesma coisa! Como é que eu, quando criança, fazia essa experiência da batata e ela brotava e até, espalhava as ramas pelo chão!

Desisti! Nunca mais tentei...

Resolvi fazer de novo hoje, "dia das crianças" de 2015.

Para não errar, fui então, procurar na Internê a maneira correta. É, descobri que errei. Errei feio!

Na minha época, a batata era feita de batata. Estragava e também,  brotava. Hoje, a coisa é bem diferente!




Clorprofame
Carbamato. Anti-abrolhante para batata de consumo armazenada. Inibe o desenvolvimento dos brolhos, atuando como anti-meristemático e aumentando o tempo de conservação.


ATENÇÃO - VENENO
Não contaminar as águas. Perigoso para organismos aquáticos.
Não aplicar em terrenos agrícolas adjacentes a cursos de água.



Usado como um supressor do broto para gramíneas, alfafa, lima e feijão-vagem, mirtilo, fruto de cana, cenouras, alho, sementes de capim, cebola, espinafre, beterraba, tomate, açafrão, soja, gladíolos e viveiro lenhosa.

Produtos Clorprofame são aprovados como um inibidor da germinação de batatas na Alemanha, Áustria e Suíça e no Brasil também.

Isso não significa que devemos parar de comprar legumes e verduras ou até mesmo deixar de comê-los porque estão “contaminados”.Isso é tolice. Não seja tão ingênuo.


O maior problema não é esse. O grande problema é, por acaso,  se houver um colapso de alimentos no mundo, seja lá pela queda de um asteroide, explosão de vulcão (ou o super-vulcão de Yellowstone), um Mega-Tsunami (Com a queda do Cumbre Vieja - Canárias, explosões solares, chuvas de nêutrons,  poluição generalizada, surto mundial de H1N1,2,3,4,5, ou uma nova febre espanhola, febre síria, ou febre da vaca louca. Ou qualquer outra tragédia prevista ou imprevisível.

Você pode pegar qualquer tubérculo, verdura, vegetal e nada irá germinar. Assim, nada de sementes também. Ou seja, você não conseguirá plantar nada.

Você e nem ninguém. Isso ficará nas mãos de alguns e se você quiser, vai ter de pagar muito caro por esse luxo.


Isso não é "Religião do Apocalipse". É somente para você saber o que fazem com você, sem que você mesmo saiba!

Os EUA e as nações europeias guardam estoques de semente, para uma possível catástrofe.

Você não precisa comprar sementes e guardar, ainda mais que, se elas não tiverem o controle devido, irão estragar. Mas você pode conseguir legumes, verduras e tubérculos de verdade e, todos que você queira (ainda dá tempo para consegui-los) e, plantar até em vasos, dentro de casa ou apartamentos.

Feito isso, eles germinarão e gerarão sementes para que você replante e continue o ciclo.


Agora. Se você é daqueles que gostam de um "veneninho" anote esses aqui:

Tipos de Agrotóxicos Mais Utilizados

Abamectina: A Abamectina é um tipo de inseticida e acaricida que pertence a classe toxicológica I, bastante utilizado nas plantações de batata, algodão, crisântemo, cravo, figo, ervilha, manga, feijão, melão, melancia, pimentão, morango, tomate, uva, citros, mamão, pêssego, pepino entre outros. Esse agrotóxico em excesso causa toxicidade reprodutiva do IA e dos seus metabólitos. A ingestão diária considerada aceitável é de 0,002 mg.

Acefato: O Acefato é um inseticida que pertence a classe toxicológica III e que é utilizado com frequência em plantações de couve, amendoim, brócolis, fumo, crisântemo, repolho, melão, tomate, soja, rosa, citros e batata. A ingestão diária considerada aceitável é de 0,03 mg. Quando consumidor em excesso pode causar neurotoxicidade e o aumento de células carcinogênicas.

Glifosato: O agrotóxico Glifosato é bastante utilizado no combate a ervas daninhas no cultivo de nectarina, maçã, banana, pêra, pêssego, cacau, café, trigo, cana de açúcar, ameixas, entre outras. O efeito desse inseticida é altamente tóxico e a ingestão diária considerada como aceitável é de apenas 0,02 mg. Quando consumido em excesso o Glifosato pode causar efeitos neurológicos.

Mas tem "Veto"Sobre os agrotóxicos, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária já disse que cerca de 14 substâncias contidas na composição dos compostos mais utilizados no país estão sendo estudados e provavelmente muitos desses produtos que são feitos e utilizados no Brasil acabarão sendo vetados (??? Então tá! Dá-lhe Monsanto).

Dentre os defensivos agrícolas ( e os agrotóxicos), os mais nocivos para o organismo são os inseticidas, herbicidas e rodenticidas.

Inseticidas – Combate aos Insetos

Organoclorados – Muito perigosos: Esse tipo de agrotóxico está proibido desde 1985, pois  deixam resíduos permanentes nos tecidos gordurosos de mamíferos, aves e peixes. Dessa forma se uma pessoa consome um animal contaminado passa a estar contaminado também. O veneno é capaz de permanecer por mais de 100 anos no meio ambiente.

Organofosforados – Menos perigosos: Depois que a intoxicação acontece, os seus efeitos se manifestam em até 24 horas. Esse tipo de agrotóxico faz parte do grupo chamado de inibidores e os seus efeitos fisiológicos podem causar reações esquizofrênicas.

Carbamatos ( aqueles das batatas acima) – Pouco perigosos: Os efeitos dos organofosforados demoram cerca de um mês para sumir, já os efeitos dos carbamatos, demoram apenas uma semana. Porém, os dois têm as mesmas características e fazem parte do grupo de inibidores.



Herbicidas – Combate a Ervas Daninhas

Paraquat – Muito Perigosos: Um tipo de composto altamente tóxico e que ataca gravemente todos os tecidos do organismo. A intoxicação pode acontecer por ingestão ou então por inalação. Se por acaso esse composto for consumido em estado puro basta uma colher de chá para levar a óbito.

Glifosate – Menos Perigosos: Uma classe de agrotóxico que apresenta um nível de toxicidade relativamente baixo para o ser humano, porém cuja ingestão acidental pode causar vômitos, náuseas e outros tipos de distúrbios gastrointestinais.

Clorofenóxicos – Pouco Perigosos: Quando o manuseio desse tipo de agrotóxico é feito de forma correta é bem pouco tóxico para o ser humano. Porém, durante a sua fabricação é liberada uma substância conhecida como dioxina que deve ser mantida isolada. No caso de ela contaminar esse herbicida a mistura torna-se cancerígena.



Rodenticidas – Combate aos Roedores

Fluoracetato de Sódio – Muito Perigosos: Dentre todos os tipos de agrotóxicos certamente a categoria dos rodenticidas é a mais venenosa de todas e o Fluoracetato de Sódio em particular é o pior de todos. O seu uso é proibido no Brasil, porém, em outros países como Estados Unidos, Nova Zelândia e Europa o seu uso ainda é liberado. No Brasil não é liberado, mas não podemos afirmar que não seja usado! Lembra-se do tal "chumbinho"? É proibido, mas todo mundo compra!!

Fosfeto – Menos perigosos: O Fosfeto é bastante utilizado para a proteção de sementes que ficam em estoque antes do plantio. O uso doméstico para o combate de ratos é bastante comum, mesmo sendo um composto proibido no país. Quando esse composto entra em contato com a água ou com a saliva libera a fosfina, um gás venenosíssimo.

Hidroxicumarínicos – Pouco Perigosos: Nos seres humanos a toxicidade desses produtos é relativamente baixa, porém, podem causar hemorragias.



AGORA: Crème de la crème! - Venenos Poderosos

Os pesticidas são muito perigosos para o ser humano, porém somente quando ingeridos ou inalados no seu estado puro.


Via Aérea: Grande parte dos agrotóxicos é pulverizada na forma líquida através de aviões. Dessa forma a aplicação é bastante perigosa uma vez que em dias de muito vento esse veneno pode acabar se espalhando contaminando assim rios e populações vizinhas.

Sistema Circulatório: Os pesticidas que fazem parte do grupo hidroxicumarínicos fazem com que o sangue perca a sua propriedade coagulante e isso pode provocar hemorragias.

Sistema Reprodutor: Os carbamatos (da batata outra vez), organoclorados e organofosforados podem levar ao aborto e os clorofenóxicos causam interferência na produção de espermatozoides.

Coração: Os agrotóxicos do grupo dos organofosforados e dos carbamatos (batata) podem causar descontroles nervosos e até mesmo parada cardíaca. O paraquat causa queimaduras e lesões nos tecidos internos dentre eles, os do coração.
Fígado: O fígado é outro órgão atacado pelo paraquat, um veneno que causa estragos bem significativos nos tecidos internos.

Sistema Digestivo: Os organofosforados, os carbamatos (e dá-lhe batatas), os clorofenóxicos e o glifosate podem causar náusea, vômito e diarreia. Esses sintomas são considerados comuns para indicar que existe um tipo de intoxicação.

Cérebro: Os carbamatos (e finalmente, batatas) e os organofosforados causam a paralisia de enzimas essenciais para o sistema nervoso. Isso pode causar um descontrole que leva a parada respiratória ou mesmo cardíaca sendo fatal.



... bom, eu fiz tudo isso por causa de um tal "carbamato" que não deixou minha experiência de crianças funcionar. Mas, se você quiser se aprofundar, basta cair de boca! 

Sempre em um supermercado perto de você!!

sábado, 10 de outubro de 2015

Semana da Criança! Verifique o que seu filho anda comendo... (Children's Week - Brazil)

Alguns (10 por enquanto) veneninhos normais e atuais utilizados na sua comida e na comida dos seus filhos!

Benzoato de Sódio - Um conservante de alimentos comum que impede o crescimento de fungos e leveduras. Quando combinados com as vitaminas C ou E, produz o "benzeno cancerígeno". O benzoato de sódio priva nossas mitocôndrias (tomadores de energia celular) de oxigênio. Ele também tem o culpado de provocar hiperatividade nas crianças.

* Encontrado em sucos, conservas, refrigerantes, molhos para saladas pré-fabricados e condimentos.


BHA e BHT (Butil-hidroxianisol butilado e hidroxitolueno) -  É um conservante que impede a quebra de gorduras. O National Institutes of Health dos EUA (NIH) afirma que BHT / BHA são “razoavelmente cancerígenos para os humanos“. Para preservar alimentos, a opção natural seria a vitamina E.
* Encontrado em batata frita industrializada  (todos os tipos), manteiga e banha, cereais, salgadinhos industrializados, purê de batatas instantâneo, conservas de carne, cerveja, pães, bebidas e sobremesas industrializadas, algumas goma de mascar e outros produtos industrializados.


MSG (glutamato monossódico) - É um realçador de sabor que é conhecido por danificar o centro da regulação do apetite (hipotálamo), causando resistência e eliminando assim, a sensação de satisfação. Ele é conhecido como "excitotoxina" ou, "o sabor que mata". Excitoxina é  um produto químico super estimulante que dispara impulsos tão rapidamente que, alguns neurônios chegam ao esgotamento e morrem e, tudo isso se dá em um prazo de apenas uma hora. É certo que nem todas as células sofrem desse tipo de esgotamento, porém, cada vez mais a industria alimentícia vem aumentando a quantidade deste  veneno em seus produtos, que além, disso, causam inflamações no fígado e displasia.

*Encontrado em sopas industrializadas, misturas de sopa secas para hidratação, refeições congeladas pré-fabricadas, refeições industrializadas, macarrão pré-fabricado tipo Miojo, Comida chinesa industrializada, pimentão e pimentas enlatados (Verificar no rótulo, pois  algumas marcas não utilizam), feijão enlatado, molho para salada; temperos industrializados (todos): Sazon (minha mulher vai me matar antes do MSG), Aji-no-moto, Aji-sal, caldo de carne ou galinha,  shoyu, molho inglês, vinagres, etc; Salgadinhos industrializados (todos);  embutidos (todos, principalmente as salsichas); Molhos de tomates; Gelatinas, biscoitos e bolachas, principalmente Club Social (verificar no rótulo dos produtos, alguns não possuem); pipocas de micro-ondas; chicletes (verificar o rótulo); Adoçantes: Zero Cal, Finn, etc; Refrigerantes e Sucos (Diet ou Light); Maionese Hellmans e outras; Iogurtes líquidos e sólidos (todos). Petit Suisse (queijinhos tipo danoninhos para crianças); Bebida energética: RedBull, TNT, Gatorade, Nigth Power, Hidrotônico, Taff Man E, etc – Alguns produtos possuem mais (como os temperos e salgadinhos) e outros menos. O melhor é sempre verificar no rótulo. 

Nota: A quantidade de componentes utilizados na produção do "alimento" (se alguns podem ser chamados disso, pois não é tudo que você engole que é alimento) vem descrita em ordem decrescente (do de maior quantidade para o de menor quantidade). Infelizmente, não temos informação do percentual ou quantidades adequadas de cada componente.


Adoçantes Artificiais - Usado como um substituto para o açúcar (além dos problemas com o Glutamato acima), recentemente foi descoberto que os adoçantes artificiais mudam a enorme colônia de bactérias benignas existentes em nosso intestino, para bactérias nocivas  e que aumentam o risco de diabetes e obesidade. Um estudo também descobriu que mulheres que bebem dois refrigerantes diet por dia tem 50% mais probabilidades de adquirir doenças relacionadas com coração (30% nos homens). Os adoçantes são constituídos, basicamente,  de Ciclamato de Sódio ou Sacarina (que são os mais baratos - A Sacarina, por exemplo, é composta de enxofre e nitrogênio). Todos os adoçantes artificiais são considerados "enganadores" do organismo, ou seja, mascaram a quantidade real de calorias ingeridas (Eu sempre disse que produto Diet era coisa de "gordo". Me desculpem, mas você só encontra "gordo" usando adoçantes. Quando são magros, provavelmente são diabéticos. Hoje existem estudos que comprovam isso, pois o organismo não percebe a ingestão das "calorias" e assim,  não ativa o mecanismo de saciedade. Isso explicaria o ganho de peso de seus usuários).

Lembre-se, adoçante foi feito para quem não pode ingerir açucar (Diabéticos) e não para quem quer emagrecer, pois o efeito será contrario, você vai ganhar mais gordura e, consequentemente, mais peso.  É certo que o açúcar industrializado faz mal (eu faço um artigo específico sobre isso), porém, o adoçante faz um mal pior. O ideal é utilizar produtos naturais ou, melhor ainda,  diminuir a ingestão exagerada de açúcar refinado.

* Encontrado em iogurtes de baixas calorias, águas com sabor (meu problema), sucos, gomas, refrigerantes diet, salgadinhos, etc. (Adoçantes artificiais comuns, utilizados pela industria: acessulfame de potássio, aspartame, glicerol, HSH, isomalte, lactitol, maltitol, polidextrose, sacarina, sorbitol, Sucralose). 

Bromato de potássio - Um aditivo alimentar utilizado na confecção de pão para amaciar e branquear a massa. Bromato de potássio é proibido em países como Canadá, Brasil e China, devido as suas propriedades cancerígenas (Mas, nem sempre essas regras são seguidas. Como é muito difícil detectar o Bromato sem testes específicos e,  principalmente, quando misturado a farinha, muitos ainda se utilizam disso em larga escala). É particularmente conhecido por provocar o cancro renal e problemas na tireoide. Embora a maioria do bromato de potássio se "quebre" durante o processo de cozimento, os testes confirmaram que as quantidades vestigiais podem permanecer em produtos panificados.

* Encontrados em pães de padaria, de sanduíche, de fast-food, pizzas congeladas, pães pré-fabricados e algumas massas ou  assados industrializados.


Acrilamida -  A acrilamida é um produto químico cancerígeno e é um subproduto de todos os produto que utilizam alta temperatura em seu processamento.

* Encontrado em alimentos aquecidos acima de 120 graus celsius. Frituras, como batatas fritas e outros produtos diversos. (A fumaça do cigarro também contém acrilamida).


O nitrito de sódio ou nitrato - É o sal utilizado, principalmente, na preservação de carne processada. Nitratos e nitritos têm sido associados ao câncer de pâncreas em ratos. Diminuir a quantidade de consumo de "produto animal" também é importante para se evitar diversos tipos de câncer, doenças coronárias, entre outras. A ONU afirma que 70% das doenças modernas são causadas por ingestão de alimentos de origem animal.

* Encontrado em salsichas, bacon, carnes, embutidos em geral  e sopas enlatadas.


HFCS (Xarope de Milho) -  Um açúcar processado e refinado extraído do milho, conhecido por contribuir para o aparecimento (ou aumento do diabetes), culpado também pela síndrome metabólica, e muitas outras desordens orgânicas. Os americanos são os campeões no consumo do "Xarope de Milho". Eles consomem mais calorias do HFCS do que de qualquer outra fonte de calorias.

*Encontrados em refrigerantes, doces, lanches de lanchonetes, sucos concentrados, cereais processados, xaropes de café, coberturas de sorvetes, condimentos, etc (Sempre é bom verificar os rótulos de produtos). 

Óleo vegetal bromado (BVO) - O BVO é um aditivo alimentar que mantém o aroma em refrigerantes,  bebidas industrializadas para uso em atividades esportivas, etc. Ainda é legal nos EUA, mas está em estudo pelo FDA há muito tempo (tempo demais até). Acredita-se que o "lobby" das industrias "emperram" os relatórios da FDA com inúmeros recursos jurídicos. É proibido na União Europeia, Japão e Austrália, pois contém bromo, o elemento associados a problemas nervosos.  Fanta, Mountain Dew e Gatorade anunciaram que tinham removido BVO de seus produtos, mas algumas marcas de refrigerantes genéricos ainda o utilizam, por isso, veja sempre a lista de componentes. (Ou melhor ainda, deixe o refrigerante de lado e desfrute de um pouco de água refrescante ou, no máximo, de um suco natural)

* Encontrado em refrigerantes e isotônicos.


Alimentos (artificias) coloridos nas cores: Azul, Verde, Vermelho e Amarelo -  Os corantes artificiais têm sido associadas a problemas na tireóide, supra-renal, bexiga, rins, fígado, além de diversos processos alérgicos inespecíficos. Existem também corantes naturais mais recomendados que os artificiais, porém, com um maior custo para a industria alimentícia.

* Encontradas em doces coloridos (principalmente para crianças), cereais, barras de chocolate, sucos, bebidas isotônicas, refrigerantes, temperos, etc. Em quase todos os produtos alimentícios industrializados se utilizam corantes. Quanto mais colorido, mais perigoso. Porém, isso precisaria  de um artigo "a parte", devido a grande complexidade e quantidade de informação.



É certo que não conseguiremos fugir de tudo isso! Porém, se não podemos evitar, podemos controlar. Quanto mais sabemos das estratégias da indústria alimentícia, que visam apenas lucros e nunca se preocupam com a saúde dos seus clientes, devemos, cada vez mais, assumir a tarefa de preparar nossas próprias refeições e com produtos naturais, sem conservantes, agrotóxicos, injeções de açúcar, injeções de condimentos, etc (coisa cada vez mais difícil de encontrar). Compre alimentos in-natura de locais confiáveis (se existirem) e prepare seus próprios doces, bolos e guloseimas, aproveitando o "original"  alimento oferecido pela natureza. Um simples contato com a natureza já nos ajuda a reconectarmos com essa energia natural (e vital), porém, que muitas vezes esquecemos que existe.  Tudo isso parece comida de "robô", mas caso isso seja impossível de evitar na atual sociedade, é melhor saber e utilizar, do que utilizar e não saber (ou seria o contrário. Não sei mais!), porém o ditado: "Longe dos olhos, longe do coração", não se aplica aqui!

"Esta semana, visitando uma escola localizada em um sitio de 6 alqueires, com plantações, pomares, hortas e animais silvestres ou de cativeiro, criados, exclusivamente,  com alimentação natural (Tudo aquilo que não existe mais nos grandes centros), ouvimos uma história interessante. Uma garota, teve que mudar com seus pais de São Paulo e acabou sendo matriculada nessa escola, porém, ela veio da "Escola Móbile" (uma das melhores escolas de São Paulo, extremamente competente - como outras do mesmo nível - inclusive, com fila de espera por uma vaga), porém, sua adaptação não foi tão tranquila. A dificuldade em se adaptar a uma metodologia mais aberta e que valoriza o desenvolvimento do raciocínio, que também valoriza as diferenças e formas de pensar entre os indivíduos e, principalmente, que faz com que a criança aprenda sozinha a resolver problemas, utilizando essas experiências,  nos estudos das matérias fundamentais obrigatórias. Em uma das atividades ao ar livre (que são muitas, inclusive aulas "in natura"), foi lhe apresentado uma "semente", que foi plantada em um potinho. A menina  olhou, olhou, fez cara de grande dúvida. Parou a atividade e perguntou o que era aquilo. A professora disse ser uma semente e que, ao ser plantada, daria origem a uma determinada árvore frutífera, mostrando a ela,  uma espécie já adulta. A menina arregalou os olhos e disse: - Isso aqui vira aquilo ali? Sim, isso mesmo.... Passado um tempo, a professora viu a criança ali,ainda olhando para o potinho e perguntou :- O que você está fazendo aí? Eu estou esperando a semente virar árvore, respondeu a menina! Ah... Mas isso vai demorar anos. Vem pra cá...

...  é, já fomos mais humanos!"